Após alguns acontecimentos macabros na história da humanidade, alguns especialistas chegaram à conclusão que o comportamento questionável abordado por um certo grupo, resulta da histeria coletiva.

Mas, o que é histeria coletiva? Como o surto em grupo pode fazer com que um conjunto de pessoas passem por cima dos seus princípios, para cometerem atrocidades?

Neste texto, você confere a resposta para todas essas perguntas, além de ver 4 exemplos de momentos macabros causados pela histeria coletiva. Boa leitura!  

O que é histeria segundo Freud?

O pai da psicanálise, Freud, diz que a histeria é uma expressão corporal inconsciente, que gera conflitos psíquicos e um sofrimento emocional intenso. Quando a histeria aparece, o indivíduo é incapaz de controlar a si próprio.

Segundo Freud, geralmente, a histeria é causada por algum trauma. Pois, experiências traumáticas possuem o poder de descarregar um grande excesso de energia insatisfatória, ecoando por todo o corpo, dificultando o pensamento lógico.

O que é histeria coletiva?

A histeria coletiva é uma comoção em grupo, que acontece quando um indivíduo acredita em algo, e a partir desse momento, essa crença se espalha rapidamente, gerando medo e até mesmo pânico em massa.

Um bom exemplo de histeria coletiva é a trágica história de Salém. Entre os anos de 1692 e 1693, um surto em grupo levou a cidade a condenar por bruxaria cerca de 200 pessoas, executando boa parte delas. 

O que provoca a histeria coletiva?

Histeria coletiva

Histeria coletiva – Reprodução

Quando se trata de uma comoção em grupo, a histeria coletiva normalmente é proveniente de um sentimento de medo/autopreservação. Por exemplo, a virada do século 20 para o 21, marcado no início dos anos 2000.

Na época, havia um boato de que o mundo iria acabar nesta data. O boato se espalhou de forma geral e fixou tão forte, que pessoas chegaram a vender seus bens pessoais, ou tiraram a própria vida, para evitar passar pelo fim do mundo.

Ou seja, para iniciar uma histeria coletiva, basta uma pessoa acreditar em algo irracional – principalmente sobre algo trágico – e espalhar a sua crença como verdade absoluta. 

Histeria coletiva: 4 vezes que o pânico em grupo causou grandes desastres

A seguir, veja alguns exemplos famosos de histeria coletiva:

1. Holocausto

Após o final da Primeira Guerra Mundial, a Alemanha se encontrava bastante debilitada. Hitler se aproveitou da situação para ingressar na política e tornar a sua visão de mundo lei.

Como uma pessoa racista, homofóbica, misógino, xenofobico, classista e preconceituosa, ele levou grande parte do país a acreditar que os males que a Alemanha vinha sofrendo eram causados pelos judeus, homossessxuas, negros e outras minorias.

Mas, não parou por aí, a sua campanha de reestabilização da Alemanha incluía eliminar todos esses grupos sociais, para que somente a raça ariana – que ele considerava superior – pudesse viver e prosperar no país. 

Olhando para trás, pensamos como as pessoas concordaram e apoiaram essa atitude. Mas, a Alemanha estava saindo de um período pós guerra, com as pessoas psicologicamente e financeiramente instáveis.

Nesse período da história, entregar o destino do país nas mãos de um salvador, sem questionar os seus métodos, parecia a salvação para muitos. Esse conjunto de acontecimentos resultou no holocausto, uma das mais crueis histerias coletivas do mundo.   

2. Caça às bruxas

Na cidade de Salém, entre os anos de 1692 e 1693, a população local – influenciada por crenças religiosas sobre o bem e o mal – iniciou um período macabro, conhecido como caça às bruxas.

Nessa época, uma histeria coletiva levou as pessoas a acusarem umas às outras de bruxaria, resultando na condenação de cerca de 200 pessoas. Dessas 200 pessoas, 14 foram enforcadas, uma idosa morreu esmagada por pedras e outras 5 morreram na prisão. 

3. Estudantes da malásia

Recentemente, no norte da Malásia, uma escola foi temporariamente fechada após alunos e funcionários relatarem experiências sobrenaturais. A imprensa local declarou o acontecimento como um ato de histeria coletiva.

Em uma entrevista para a BBC, uma professora afirmou que mais de cem pessoas foram afetadas pelos acontecimentos na escola, que incluía dormência e dissociação, após ver algum espírito.

O burburinho foi tanto, que a instituição de ensino convidou religiosos islâmicos a recitar o Corão e fazer orações dentro de suas instalações. Além disso, as autoridades locais também enviaram consultores para o local.

4. Início dos anos 2000

Muitas pessoas religiosas acreditaram que o mundo iria terminar ao completar 2 mil anos. No início, essa era apenas uma crença de uma religião específica. Contudo, esse boato se espalhou, causando pânico em muitas pessoas.

A histeria coletiva do fim do mundo na virada de 1999 para 2000 foi tão grave, que pessoas tiraram a própria vida, para evitar o caos que seria o apocalipse bíblico.

Tags:

No responses yet

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *