Um exorcista se trata de um homem designado pela igreja com conhecimentos de escrituras que o permite lidar com o mal. Assim, o exorcista seria um “homem de Deus”, cheio de fé e conhecedor de rituais, geralmente de palavras em latim, capacitado para expulsar demônios do corpo dos possuídos.

Com a popularização dos exorcismos em filmes de terror, essa função existente na vida real ganhou contornos ainda mais sinistros, nos fazendo pensar no que é real e o que foi inventado para o cinema. Por outro lado, declarações da igreja comprovam que os padres exorcistas realmente existem.

Veja o que é verdade e o que é mito dentro dessa “profissão”. Além disso, entenda como é a formação de um padre exorcista e se uma mulher pode se tornar uma exorcista também!

O que é um exorcista?

O que é um exorcista

O que é um exorcista – Freepik

Um exorcista é uma pessoa, geralmente religiosa, treinada e autorizada para realizar exorcismos. Nesse sentido, o exorcismo é um ritual que visa expulsar e banir entidades sobrenaturais, como demônios, espíritos malignos ou forças maléficas, que supostamente possam estar possuindo ou influenciando negativamente uma pessoa, objeto ou lugar.

Os exorcismos são mais comumente associados com práticas religiosas, especialmente dentro da tradição cristã, onde é alegado que o exorcista age em nome de Deus para expulsar forças demoníacas. No entanto, conceitos semelhantes existem em diversas culturas e religiões ao redor do mundo, cada uma com suas próprias abordagens e rituais específicos para lidar com o sobrenatural ou a possessão maligna.

Quem pode se tornar um exorcista?

A capacidade de se tornar um exorcista está associada a práticas religiosas específicas e requer autorização e treinamento dentro da respectiva tradição. Por isso, no catolicismo, um exorcista é normalmente um padre designado pelo bispo para realizar exorcismos; para isso, o padre precisa ser treinado e autorizado.

Nas tradições protestantes, a abordagem em relação a exorcismos pode variar. Algumas denominações podem ter indivíduos designados para lidar com situações de libertação espiritual, mas a estrutura e a autorização podem ser menos formais do que no catolicismo.

Em outras tradições religiosas, a prática de exorcismo pode ocorrer de maneiras diferentes. Por exemplo, em algumas tradições do judaísmo, há rituais específicos para lidar com a influência maligna. Em outras religiões, podem existir líderes espirituais designados para lidar com questões espirituais ou possessões, e os requisitos podem variar.

Como é a formação para exorcista?

No catolicismo, a formação para se tornar um exorcista é um processo cuidadoso e formal. Os passos típicos podem incluir:

  • Padre ordenado: O indivíduo deve ser um padre ordenado na Igreja Católica.
  • Nomeação pelo bispo: O bispo da diocese deve nomear um padre para a função de exorcista. A nomeação ocorre com base na confiança do bispo na capacidade e retidão moral do padre.
  • Curso de formação específico: O padre passa por um curso de formação especializado em exorcismo. Este curso aborda questões teológicas, espirituais e práticas relacionadas ao exorcismo.
  • Acompanhamento prático: Após a conclusão do curso, o futuro exorcista pode ser acompanhado por um exorcista experiente para ganhar experiência prática, observando e participando de exorcismos sob a orientação de um mentor.
  • Autorização episcopal: Antes de realizar exorcismos de forma independente, o padre deve obter a autorização do bispo da diocese para realizar esse ministério específico.

2. Outras tradições religiosas:

Em tradições religiosas protestantes e outras religiões, os processos de formação para exorcistas podem variar significativamente. Algumas denominações podem ter procedimentos formais semelhantes ao catolicismo, enquanto outras podem confiar na experiência prática, na oração e em formas menos estruturadas de preparação.

Importante:

Independentemente da tradição, é fundamental que os exorcistas demonstrem uma compreensão profunda das escrituras, uma vida de fé exemplar, discernimento espiritual e a capacidade de lidar com situações delicadas.

O exorcismo é uma prática séria e muitas vezes controversa, e a formação visa equipar os exorcistas com as habilidades e o discernimento necessários para lidar com questões espirituais complexas.

5 mitos e 5 verdades sobre a profissão

5 mitos e 5 verdades sobre a profissão 

5 mitos e 5 verdades sobre a profissão – Freepik

Mitos:

  1. Exorcistas enfrentam constantemente eventos sobrenaturais dramáticos: Embora os filmes e a mídia muitas vezes retratem exorcistas lidando com eventos espetaculares, a realidade é que muitas situações são mais sutis e podem envolver questões psicológicas ou de saúde mental.
  2. Exorcistas têm poderes especiais ou mágicos: A figura do exorcista não é retratada corretamente quando associada a habilidades sobrenaturais. Desse modo, exorcistas são líderes religiosos treinados, e a prática está enraizada em crenças espirituais específicas.
  3. Qualquer pessoa pode se tornar um exorcista por vontade própria: Tornar-se um exorcista geralmente requer autorização e formação específica dentro de uma tradição religiosa. Assim, não é uma escolha que qualquer pessoa pode fazer arbitrariamente.
  4. Exorcismos sempre têm sucesso imediato: Na realidade, os exorcismos podem ser processos longos e complexos, e nem sempre resultam em sucesso imediato. Alguns casos podem exigir múltiplas sessões.
  5. Exorcistas só lidam com casos de possessão demoníaca: A prática do exorcismo pode abranger uma variedade de situações espirituais e não se limita apenas à possessão demoníaca. Inclui também orações de libertação, bênçãos e enfrentamento de forças malignas em geral.

Verdades:

  1. Exorcistas são líderes religiosos autorizados: Exorcistas são membros ordenados de uma tradição religiosa, como padres ou clérigos, autorizados por suas respectivas autoridades eclesiásticas.
  2. Formação especializada é necessária: Aqueles que buscam se tornar exorcistas passam por uma formação especializada que inclui conhecimento teológico, espiritual e prático.
  3. A abordagem varia entre tradições religiosas: Diferentes religiões e denominações têm abordagens distintas para o exorcismo, com rituais e práticas específicas que refletem suas crenças e tradições.
  4. Exorcistas trabalham em colaboração com autoridades religiosas: Exorcistas atuam em coordenação com autoridades religiosas, como bispos ou líderes eclesiásticos, e buscam aprovação antes de realizar exorcismos.
  5. Confidencialidade é crucial: Exorcistas respeitam a confidencialidade dos envolvidos nos casos que enfrentam, protegendo a identidade e privacidade das pessoas envolvidas nos rituais.

Tags:

No responses yet

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *